domingo, 24 de janeiro de 2010

Baía do Tiros



No último dia fizemos tudo errado. Acordámos tarde quando tínhamos pouco tempo para pescar e fomos para um sítio que tinha belos pesqueiros de vazante precisamente na hora em que começou a encher.


Fomos para a Baía dos Tiros que é a costa à direcção da povoação de Maria Vinagre. Eram 10 horas quando lá chegámos e a maré estava completamente vazia.
Equipamo-nos rapidamente e descemos a arriba.

Resize of DSCN0424

Eu escolhi esta malhada para pescar que dava banho mas que fazia umas feições boas para a entrada de sargos. Mas tinha um senão:



A saída estava rapidamente a ficar coberta de água e por isso o meu tempo era curtíssimo (pesqueiro típico de vazante).


E deu dois sargotes e uma salema grande, mas fui rapidamente corrido dali precisamente quando os sargotes começaram a encostar.



Este já tinha medida, mas achei que não me fazia falta e por isso devolvi ao mar, tal como a salema e a outra sargueta.

Resize of DSCN0428

Resize of DSCN0430


Mudei de pesqueiro





e pouco tempo depois apareceu esta nuvem preta a trovejar por todo o lado, pelo que arrumei a cana imediatamente. Estava a pesca feita.

Resize of DSCN0432





Deixámos a sardinha mais estragada para as gaivotas comerem enquanto caía uma bátega de água e granizo de arrepiar. Aquele lá em baixo é o Mano Ruben.


Resize of DSCN0434


E assim se conclui a série de cinco relatos sobre as pescarias na Costa Vicentina que, apesar de não estar próprio para apanhar peixe, nos proporcionou belíssimas fotografias, contactos interessantes com os locais e um conhecimento (ainda que superficial) dos pesqueiros e zonas de pesca.


Ate uma Proxima

Nenhum comentário: